AMBIENTE E INEA PROMOVEM EVENTO DE CONSCIENTIZAÇÃO

No repertório, Funk Verde e outros ritmos como samba, baião, maculelê e maracatu

 

 O show contará com a presença de integrantes, alunos e professores do projeto socioambiental Funk Verde, desenvolvido nas comunidades da Rocinha, na Zona Sul da cidade, e na Roquete Pinto, na Zona Norte do Rio. O projeto de educação musical faz parte do Programa “De Olho no Lixo”, que agora beneficiará também a comunidade do Vidigal, na zona sul do Rio.
O show que vai mostrar o ritmo do Funk Verde, num dos mais belos cartões postais do Rio, promete empolgar o público ao som de instrumentos criados a partir de resíduos reaproveitados, dando o tom à Virada Sustentável.
Fruto de cooperação técnica entre a Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), Instituto Estadual do Ambiente (INEA) e o Viva Rio Socioambiental, com recursos da Associação dos Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj), o Projeto De Olho no Lixo desenvolve trabalho de manejo correto dos resíduos sólidos, visando a minimizar o impacto negativo provocado pelo lixo.
Além da coleta de lixo, que é realizada por 30 agentes socioambientais, o projeto De Olho no Lixo tem um eixo importante de atuação na educação ambiental, cultura e comunicação que visa evitar a continuidade de lançamento de resíduos pelos moradores e transformando lixo em arte e renda. Para isso, são desenvolvidos na comunidade dois cursos gratuitos: Funk Verde que oferece oficinas de percussão e teoria musical com o reaproveitamento de materiais retirados do lixo para a confecção de instrumentos musicais; e o Ecomoda, voltado para a capacitação em produção de acessórios e peças de vestuário, a partir do reaproveitamento de retalhos, tecidos, jeans usados e banners.
Os agentes ambientais já retiraram, de maio de 2016 até o momento, 888 mil quilos de resíduos em pontos estratégicos da Rocinha.


Funk Verde

O curso Funk Verde oferece oficinas de percepção sonora confecção de instrumentos musicais criados a partir da reutilização de resíduos sólidos. Durante as aulas ministradas aos jovens da Rocinha, já foram produzidos cerca de 80 instrumentos musicais com destaque para a cuíca confeccionada com canos PVC, um tipo de resíduo da construção civil; o pandeiro produzido com garrafa pet em substituição ao couro animal e latas de tinta que foram transformadas em tarol.

Além da questão ambiental, estimula a formação de grupos musicais e associa a expressão da cultura popular brasileira e mundial, por meio de diversos estilos como o samba, funk, baião, rock, frevo, maracatu, samba, reggae, entre outros ritmos ao tema meio ambiente.

A coordenadora do Funk Verde, Regina Café, ressalta que o projeto, além da sensibilização ambiental, dá formação aos participantes:
– Aqui formamos jovens e crianças que criam os instrumentos através dos materiais que encontram. Procuramos chegar o mais perto possível da sonoridade dos instrumentos industrializados – disse Regina Café.


Ecomoda

Nas oficinas de Ecomoda, os jovens aprendem a confeccionar roupas, bolsas e acessórios reutilizando jeans usados, retalhos, banners e até CDs. Nas aulas realizadas na Rocinha, foram criadas mais de 400 peças de vestuário, entre calças, vestidos, blusas e bolsas, além de acessórios.

O coordenador do Ecomoda, o estilista Almir França ressalta que o projeto, além de provocar uma sensibilização ambiental transmite a possibilidade de geração de renda para os participantes sob a ótica do empreendedorismo:

– Formamos pessoas conscientes e preocupadas com o meio ambiente- disse ele.
Projeto De Olho no Lixo – Baía de Guanabara
Na comunidade Roquete Pinto, o projeto De Olho no Lixo – Baía de Guanabara tem por objetivo capacitar jovens para atuarem como protetores da Baía de Guanabara. Atualmente, 58 jovens já foram preparados pelo projeto e assumiram o compromisso de proteger a baía através de um plano de educação ambiental construído por eles.


O Projeto De Olho no Lixo – 
Baía de Guanabara desenvolve ações de educação e sensibilização ambiental para evitar o lançamento de resíduos sólidos na baía. O projeto é uma iniciativa da Secretaria de Estado do Ambiente e do Inea, e tem como parceiros o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Instituto Brasileiro de Administração Municipal (Ibam).
Projeto De Olho no Lixo – Vidigal

Agora, o Projeto De Olho no Lixo está chegando à comunidade do Vidigal. Além do trabalho de manejo correto de resíduos e da instalação da coleta seletiva que serão executados por agentes ambientais, o projeto também oferecerá para os jovens, os cursos Funk Verde e Ecomoda.
O pontapé inicial foi dado no dia 19 de maio com a realização de várias atividades socioambientais no Vidigal como mutirão de limpeza, palestras sobre o Projeto De Olho no Lixo e exposição dos instrumentos musicais, roupas e acessórios produzidos durantes as aulas do Funk Verde e do Ecomoda para os jovens da Rocinha.
Onde: Parque das Figueiras, Lagoa Rodrigo de Freitas
Quando: sábado, 9 de Junho 2018
Horário: das 14:15 às 15h

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s