ESTADO DEFLAGRA OPERAÇÃO NO DISTRITO INDUSTRIAL DE QUEIMADOS

Os técnicos da Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (Seas) e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), com apoio do Comando de Polícia Ambiental (CPAm), vistoriaram nessa quinta-feira (06/02) seis empresas do Distrito Industrial de Queimados. A ação, que contou com a participação do presidente do Inea, Carlos Henrique Vaz, faz parte da operação para identificar despejo de efluentes sem tratamento no Rio Guandu.

A primeira, empresa do ramo têxtil, Citycol, foi autuada com base no Art. 61 da lei 3.467, que versa sobre o lançamento de efluente no meio ambiente sem o devido tratamento. Foram lacradas as caixas de energia, paralisadas as operações da tinturaria e feito o tamponamento da saída de água da estação de tratamento da empresa. No ato também foram lavrados um auto de constatação, um auto de medidas cautelares, e uma notificação, além da suspensão parcial da atividade de tinturaria e lavagem. O responsável pela empresa foi conduzido à delegacia.

Na empresa Burn, o licenciamento havia sido concedido pelo município. Portanto, coube a Prefeitura de Queimados, que também participa da operação, autuar. No empreendimento foi detectado o descumprimento de duas condicionantes: armazenamento irregular de matéria-prima e destinação incorreta do esgoto sanitário. Foram lavrados dois autos de infração e uma notificação.

A Flash Rio, terceira vistoriada pelas equipes que atuam na operação, foi autuada, interditada e o responsável será conduzido à delegacia. Além do despejo irregular de resíduos, a empresa efetuou desmatamento, avançou pela faixa marginal do rio e realizou terraplanagem da área sem autorização. Duas máquinas foram apreendidas: um rolo compactador e um trator de esteira.

Na Lanlimp não foram encontradas irregularidades.

A quinta empresa vistoriada, o Frigorífico Vifrio, foi notificada a fazer adequações ambientais.

A Fábrica da Piraquê foi notificada por descumprimento de condicionante e deve promover a adequação na estação de tratamento com implantação de dique de contenção para prevenção de possíveis acidentes.

Durante a operação técnicos do Inea realizaram a coleta de amostras de água na saída das Estações de Tratamento de Efluentes (ETE) das indústrias da região e agentes fizeram sobrevoo na região com o objetivo de rastrear possível lançamento de esgoto industrial sem tratamento no Rio Guandu.

O Inea vai atuar de forma intensiva no entorno da Bacia do Guandu e continuará as vistorias nos próximos dias. A polícia fará o patrulhamento ambiental da região 24 horas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s